História da Paróquia

As origens

As sementes desta paróquia começaram a ser plantadas no ano de 1990, quando a irmã Helena Menegaz, juntamente com a Evangelização 2000, iniciaram a missão num galpão, próximo à garagem da Viação Planeta. Este local, que antes abrigava os funcionários da estação de esgoto do P. Sul, agora transformava-se em um lugar de oração, onde um pequeno grupo se reunia e o Padre José Belo de Morais Filho, então pároco da Paróquia São Pedro Apóstolo, celebrava as missas.

O galpão

Três anos depois, o galpão foi retirado e a pequena comunidade de fiéis passou a se reunir no Colégio 50. Como o número de fiéis crescia continuamente, sentiu-se a necessidade de se ter uma capela e, como Deus sempre vai á frente, foi possível adquirir um terreno; a partir deste fato, redobrou-se os esforços para que a Evangelização neste terreno se fortificasse. O marco deste desenvolvimento se deu com o lançamento da pedra fundamental em 1999, e eis que estava consumado o gesto inicial da obra que, embora na precariedade, mas com a confiança na providência de Deus, nascia a Capela Cristo Rei.

A capela

Tendo adquirido o terreno, começaram os trabalhos para a construção da capela, nos quais toda a comunidade presente colaborou de alguma forma. Desta primeira fase de nossa capela, pedimos as bênçãos especiais de Deus para os fiéis Francisca, Dilurdi, Franscisco, Geralda, Agenor, Antonia, Juarez, Lena, Cida, Olímpio, Jurandir, Irmã Helena, os padres Belo, Ismael, Daniele, Paulo, Gerardo, entre outros que, de alguma forma, deram a vida para que “as sementes plantadas encontrassem um terreno fértil e pudessem dar bons frutos” (Mc 4, 3-5).

O desejo de ser paróquia

Com o contínuo crescimento demográfico da região e, conseqüentemente, com a necessidade de levar a Palavra de Deus a tantos quanto fosse possível, o então Arcebispo Metropolitano de Brasília, Dom João Brás de Aviz, no dia vinte e cinco de novembro de 2007, na solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, decretou o desmembramento da capela à Paróquia São Pedro Apóstolo e, por conseguinte, sua instituição como Paróquia Cristo Rei.

A paróquia

Na mesma data supracitada, foi provisionado e nomeado como pároco, o padre Vicente Areche Justiniano, que já atuava como vigário na Paróquia São Pedro Apóstolo. No decorrer da celebração que contou com a presença de vários padres concelebrantes e um grande número de fiéis, foram lidos o Decreto de criação da nova Paróquia, a Provisão e Nomeação do Pároco e procedeu o desenrolar solene do cerimonial litúrgico da referida posse. Todo esse momento foi vivido com muita vibração por parte de todos os participantes que superlotavam o recinto. Também num clima de muita alegria e exultação, no final da Missa, após a benção e despedida, foi servido um jantar para todos os padres e líderes de pastoral ali presentes.

Pe. Claudemir

Por ocasião do afastamento do então pároco, pela ação do Espírito Santo, inspirou Dom João Braz de Aviz a determinar o Padre Claudemir de Andrade como administrador paroquial durante uma missa no dia vinte e cinco de agosto de 2008, na qual, em sua homilia, exortava o povo a não entrar na murmuração e no julgamento, mas sim, rezar fortemente para que os acontecimentos não fossem causa do afastamento dos fiéis da Igreja. Depois de quatro meses, na Eucaristia presidida por Dom João, no dia 21 de dezembro, foi feita a provisão e nomeação definitiva como Pároco da Paróquia Cristo Rei do Padre Claudemir de Andrade.

O Padre Claudemir nasceu em Casa Branca, estado de São Paulo, no dia 03 de dezembro de 1975. É o quinto filho de José Natalino de Andrade e Maria Inês de Castro Andrade, de uma família de sete irmãos. Recebeu o chamado vocacional no ano de 1997, numa Jornada Mundial da Juventude em Paris (França), presidida pelo Santo Padre, o Papa João Paulo II. Ingressou no Seminário Missionário Arquidiocesano Redemptoris Mater de Brasília no ano de 1998 e foi ordenado diácono no dia 06 de maio de 2006, recebendo o dom da ordenação sacerdotal no dia 09 de dezembro de 2006.

As famílias em missão

Tendo percebido os graves problemas econômicos e sociais, quer pelo elevado índice de desemprego, quer pela violência, muitas gangues de jovens, desagregação familiar em grande escala, consumo de álcool e drogas, alto nível de suicídios, homicídios, incestos, pedofilia etc; dos quais padecem o território da Paróquia e, para agravar tal situação, uma assustadora proliferação de seitas (cerca de 200), que não fazem mais que enganar este povo já tão sofrido, além da desestruturação das famílias, motivo pelo qual encontram-se várias delas morando no mesmo lote, sendo causa da promiscuidade e de muitos abusos sexuais, o Padre Claudemir, em comunhão e aprovação do Arcebispo Dom João Braz de Aviz, recebeu a graça do envio pela parte de Sua Santidade o Papa Bento XVI, de uma “família em missão” para a nossa paróquia. As “famílias de missão” nasceram em 1986, em resposta ao chamado de João Paulo II para empreender uma nova evangelização. Seus membros pertencem às comunidades neocatecumenais, e oferecem-se voluntários para ajudar a Igreja onde for necessário. “O futuro da humanidade passa pela família” era a convicção do Papa João Paulo II. A família cristã, vivendo segundo do modelo da Família de Nazaré, na humildade, simplicidade e no louvor cotidiano é o testemunho da Boa Notícia que salva as famílias! O Santo Padre Bento XVI reconheceu: “São famílias que partem sem grandes apoios humanos, mas que contam, antes de tudo, como o apoio da Providência divina”. Para nossa paróquia foram enviados, no dia 25 de janeiro de 2010, Francisco e Andréia, um casal de Curitiba (PR) que tem doze filhos: Ana Beatriz, Fabiane, Felipe, João, Francisco, Maria, José, Monica, Jonatas, Cecília e Tobias, provados na fé. Eles têm renunciado a tudo, e vem como Cristo envia, confiados na palavra que diz: “Não leveis ouro, nem prata, nem cobre nos vossos cintos, nem alforje para o caminho, nem duas túnicas, nem sandálias, nem cajado, pois o operário é digno do seu sustento.” (Jo 10, 9-10), e na Paróquia, são um sinal do Amor e da Misericórdia de Deus, atuando no Anúncio do Evangelho nas visitas de casa em casa.

Pe. Andrés

Em junho de 2010, a Paróquia teve a graça de receber como diácono, por instituição do Arcebispo Dom João Braz de Aviz, a Andrés Felipe Valência Cardona que, após sua Ordenação Presbiteral, foi instituído, no dia 02 de fevereiro de 2011, Festa da Apresentação do Senhor, como Vigário Paroquial de nossa Paróquia.

A segunda família em missão

Junto com o Padre Andrés, chega também a segunda Família em Missão de nossa Paróquia, Adilson e Auxiliadora, um casal de Sales de Oliveira (SP), que tem dois filhos: Nathan e Gabriel. Eles sentiram o chamado vocacional no contexto da Convivência de Início de Curso de 2009, com sua comunidade neocatecumenal de origem, e após participarem de uma Convivência de Itinerantes e Famílias em Missão em novembro de 2010, foram enviados. Chegaram na Paróquia em 03 de fevereiro de 2011.

O incêndio

No dia 29 de dezembro de 2011, por volta das 23 horas, um incêndio iniciou-se no prédio localizado no terreno que faz divisa com a paróquia, na parte detrás. Nesta construção desenvolveu-se, há alguns anos, um projeto social realizado por iniciativa do deputado Benício Tavares. Como desde o ano 2005, nenhuma atividade foi mais realizada neste local, a partir de então, o prédio começou a ser ponto de encontro para consumo de drogas e para outras atividades ilícitas. Após várias denúncias, a providência tomada foi a presença de um vigia permanente no local. Isto, contudo, não impediu que, na data acima indicada, a presença de dependentes químicos no local provocasse o incêndio, conforme indicou o laudo da perícia ali realizada. Com base nisto, o Pe. Claudemir de Andrade solicitou ao Sr. Governador Agnello Queiroz uma emergente audiência para expor o histórico da paróquia, deste terreno e dialogar sobre as providências urgentes e necessárias a serem tomadas. Esta audiência aconteceu no dia 30 de dezembro de 2011, estando presentes o deputado Washington, o Sr. Francisco Pereira de Souza da família que está em missão nesta paróquia e o Pe. Claudemir. Nesta reunião, Pe. Claudemir expôs o histórico da paróquia Cristo Rei e expôs também a necessidade que a paróquia tem de usufruir deste terreno em vista de melhor exercer suas atividades pastorais e sociais. Após o diálogo sobre as intenções a respeito deste terreno por parte da paróquia, o Sr governador, Agnello Queiroz, confirmou a intenção de criar ali um “Centro de atenção Psicossocial”, mais conhecido como CAPS. Contudo, o mesmo concluiu que, embora ambas atividades sejam igualmente importantes para a região, é possível buscar outro local – mais próximo ao Conjunto Sol Nascente – para que este Centro se estabeleça. Por esta decisão, o Sr governador comprometeu-se por palavra reunir-se com o presidente da Terracap e o secretário da saúde do distrito federal para indicar-lhes sua decisão de que tal terreno pudesse pertencer à paróquia Cristo Rei e buscar outro local para estabelecer-se esta CAPS.

Pe. Fernando

Na época deste ocorrido, a Paróquia já contava com a presença do diácono Fernando Alves de Sousa que, após sua Ordenação Presbiteral, assumiu como Vigário Paroquial em 03 de janeiro de 2012 O Padre Fernando Alves de Sousa, nasceu em Jundiaí, SP, aos 25 de abril de 1982. È o primeiro filho de Odilon Alves de Sousa e Lucia Satin de Sousa e tem outros dois irmãos. Recebeu o chamado vocacional no ano de 1999, no contexto de uma Peregrinação dos Jovens do Caminho Neocatecumenal à Terra Santa, inspirado na vocação de um seminarista missionário na África que falecera. Após acompanhamento vocacional, fez dois anos de itinerância no noroeste do Paraná e ingressou no Seminário Missionário Arquidiocesano Redemptoris Mater de Brasília no ano de 2003. Foi ordenado diácono no dia 05 de março de 2011 e presbítero no dia 03 de dezembro de 2011. Em 27 de setembro, atendendo à necessidade da Nova Evangelização e, no caráter missionário e itinerante de sua vocação, o Padre Fernando partiu para uma nova missão.

Pe. Francisco

Em novembro de 2012, a Paróquia recebeu a graça de um novo Diácono, que, após sua Ordenação Presbiteral, em junho de 2013, foi enviado como Vigário Paroquial, o Padre Francisco Neves Júnior.

O Padre Francisco Neves Junior, nascido em Umuarama, Paraná, aos 17 de maio de 1987, é o quarto filho de Francisco Neves e de Maria Cleuza Silvestre Neves, de uma família de nove irmãos. Recebeu o chamado vocacional em uma Convivência de Início de Curso com sua comunidade do Caminho Neocatecumenal, em 25 de abril de 2004, festa de São Marcos Evangelista. Fez acompanhamento vocacional na cidade de Palotina (PR) e no ano de 2006 ingressou no Seminário Missionário Arquidiocesano Redemptoris Mater de Brasília. Após a conclusão do curso de Filosofia, fez dois anos de Itinerância em Israel e na Arquidiocese de Niterói (RJ). Foi ordenado diácono no dia 23 de novembro de 2012 e enviado à Paróquia Cristo Rei por Dom Sérgio da Rocha, arcebispo de Brasília. Foi ordenado presbítero no dia 08 de junho de 2013 e no dia 1º de julho de 2013 foi nomeado vigário da Paróquia Cristo Rei também por Dom Sérgio da Rocha, Arcebispo de Brasília.

A terceira família em missão

Em janeiro de 2013, chega à paróquia a terceira família em missão, Fernando e Mariana, um casal de Salto, SP, e seus filhos: João, Miguel, Catarina, Sophia, Lucas, Beatriz, Daniel e Miriam. Casaram-se em 28 de janeiro de 2005, após seis anos e meio de namoro, e desde antes já participavam das comunidades do Caminho Neocatecumenal na Paróquia Matriz de São Benedito, em Salto, SP. Por terem tido a experiência do Amor de Deus e de como o Senhor reconstruiu suas vidas e seu casamento, sentiram o coração extremamente agradecido e decidiram atender ao chamado vocacional como Família em Missão na Convivência de Início de Curso, em Jundiaí, SP, em fevereiro de 2012. Depois de participarem da Convivência das Famílias em Missão, em Brasília, em julho do mesmo ano, foram enviados à Paróquia Cristo Rei, Ceilândia, DF, para começar a missão principalmente na região da invasão denominada Sol Nascente, para a qual chegaram no dia 04 de janeiro de 2013.

Pe. Mateus

Em 2015, designado para seu tempo de formação pastoral, chega em nossa paróquia Mateus Manuel Camuege. Nascido em Angola, terceiro filho de oito irmãos, veio para o Brasil em 2006 para seus estudos no Seminário Arquidiocesano Missionário Redemptoris Mater de Brasília. Após sua ordenação presbiteral, em 27 de junho de 2015, Pe Mateus tem servido como vigário paroquial na paróquia Cristo Rei.

Diácono Germán

No início de 2016, chega também Germán Eduardo Machado Córdova, para sua etapa pastoral. Vindo do Peru, terceiro de cinco irmãos, Germán foi ordenado diácono em 07 de outubro de 2016 e tem servido na paróquia desde então.

A quarta família em missão

Em julho de 2016, chega à paróquia a quarta família em missão, Rodrigo e Silvania, um casal de Álvares Machado, SP, e seus filhos: Mariah, Matheus, José Lucas e Antonella, que, após atenderem à um chamado vocacional numa Convivência de Início de Curso e serem ouvidos pelos catequistas da nação na Convivência das Famílias em Missão de 2015, foram enviados para fazer a missão na região da capela São Filipe Neri.

Nesses quase dez anos de paróquia, o território paroquial conta com quatro capelas:
  • Capela Santa Josefina Bakhita (leia mais sobre a história da capela)
  • Capela Santa Maria Goretti (leia mais sobre a história da capela)
  • Capela São Francisco Xavier (leia mais sobre a história da capela)
  • Capela São Filipe Neri (leia mais sobre a história da capela)

 

Além das quatro capelas, a Paróquia Cristo Rei conta também com os seguintes movimentos e pastorais:
arrow